Sim, com essas presilhas nos tornamos meninas

 

Decidido a descobrir o que se passa na cabeça dos nossos dogs, pesquisador Gregoy Burns usou como primeira cobaia sua mascote de nome Callie. A seguir, como a pesquisa despertasse a comunidade acadêmica, outros cães foram treinados para se submeter à ressonância magnética no cérebro. Relembre a parte 1 e a parte 2 já publicadas aqui no blog.

Calma que não é possível dizer com exatidão o que se passa na cabeça de um dog. Mas o estudo verificou uma semelhança entre cães e humanos: o núcleo caudado, responsável nas pessoas por manifestações de prazer como comida, música e beleza.O que a pesquisa apurou é que cães e humanos reagem de forma semelhante. No caso dos pets, quando diante do cheiro do dono, da alimentação ou quando o tutor volta de uma viagem.

Daí que o doutor Burns disse ao jornal norte-americano The New York Times que “a habilidade para sentir emoções positivas como amor ou apego afetivo, colocaria os cães no mesmo nível de sentimentos de uma criança”.

Ele concluiu a seguir que “cachorros e muitos outros animais, provavelmente sentem as mesmas emoções dos humanos. Isso significa que devemos rever o tratamento de animais de estimação enquanto propriedade apenas”.

Gostou desse post? Então não hesite: curta, comente e compartilhe nossos materiais.

Compartilhe!