Em casa mando eu, somente eu. Agora dá licença

 

Lembra daquela visita impertinente, de familiar ou não, que chega dando ordem na casa alheia? “Esse tapete tá feio, troca”. “Não se serve copo de água sem pires porque molha o chão e a gente escorrega”. Pois a dona Guiomar está com um problema similar, só que envolvendo pets.

Ela já possuía dois vira latas – um macho bem idoso e quase cego e uma outra de grande porte também idosa. Mas acolheu o filho que se separou. E com ele mais duas outras fêmeas em idade avançada. Para “melhorar”, o outro filho que já morava com ela adotou um filhote macho.

O resultado dessa salada é que o filhote “chamou a responsabilidade para si” e quer o monopólio de todos os agrados. Ciumento de doer, chega ao requinte de participar ativamente das brigas dos cachorros mais velhos com os recém-chegados. Ele, do lado dos mais antigos, claro.

Daí que dona Guiomar pergunta: onde foi que eu errei?

No próximo post, o Fernando Baiardi responde. Curta, comente e compartilhe nossos temas aqui do blog.

Compartilhe!