Leitora perdeu seu pet e está preocupada

 

Uma leitora de São Paulo escreveu bastante preocupada. O cachorro que acompanhou um pedaço da infância dos dois filhos pequenos morreu recentemente e ela tem dúvida sobre adotar ou não um novo pet. Ela teme que algum vírus deixado pelo antigo morador do pátio possa contaminar o novo hóspede da casa. Isso é possível? Que cautelas devem ser adotadas?

Fernando Baiardi responde:

“Devemos entender que o ciclo de vida dos cães é bem menor que o nosso. Isso na verdade é triste, mas é a realidade. Devemos explicar a nossos filhos que precisamos aceitar tais fatos e lembrar-nos sempre dos bons momentos vividos.

Um novo cão no convívio ajuda muito a aliviar a ausência do outro pet. Porém precisamos antes nos certificar de que o ambiente não oferecerá risco nenhum ao novo morador. Se a causa da morte do outro animal for infecções por bactérias, etc vale sempre a pena conversar com nosso veterinário sobre este risco. E não se esqueçam que a adoção é a melhor opção quando se pretende adquirir um novo amigo”.

Tire suas dúvidas sobre adoção e comportamento canino no nosso blog. Curta, comente e compartilhe nossos conteúdos.

Compartilhe!