Até os narizes mais minúsculos são poderosos
O blog Cão Ativo Club termina neste post a série sobre um artigo do professor  John MacGann, da Universidade de Rudgers, de Nova Jersey (EUA), que compara os olfatos humano e dos cachorros. Clique aqui para relembrar a parte um e aqui para a parte dois.

Daí que chegando ao final da série a pergunta que fica é: quais as marcas que diferem o olfato humano e o canino? No seu estudo sobre o tema, o professor MacGann exemplifica dizendo que se os cães tem uma capacidade olfativa forte o suficiente para detectar o cheiro de urina em qualquer espaço, os seres humanos são mais sensíveis aos aromas. Daí que a tese resume que o homem depende de sua inteligência e não propriamente do seu olfato para sobreviver.

Galeria de olfatos

 

O pesquisador também refuta no estudo a tese de que enquanto os cães tem capacidade para identificar mil odores diferentes, os humanos seriam capazes de identificar apenas 400.

“A capacidade de sentir uma ampla gama de odores têm uma grande influência no comportamento humano mediante a ativação das emoções, ou fazendo ressurgir lembranças”, assinala.

Louco esse post, não? Curta, comente e compartilhe nossos materiais.

Compartilhe!