Hoje vamos ver como lidar com um filhote quando o levamos para casa. Na primeira parte das dicas, expliquei como é importante pegar o animal após dois meses de vida e do desmame. Também comentei que é melhor buscá-lo durante o dia, assim o filhote terá tempo para se acostumar com a nova casa e se cansar para que a primeira noite não seja tão problemática, tanto para você quanto para ele. Mas e agora?

Lembre-se que a sua postura nos primeiros dias com o filhotinho é importante para a “formação” dele. É importante mostrar que a casa tem regras e que ele precisa segui-las. Por isso…

  • Delimite um local inicial

Se a gente leva um tempo para se familiarizar com uma casa nova, imagine um filhote de dois meses de vida! Ele vai ficar todo curioso querendo ver tudo que há no novo lar. Provavelmente não saberá voltar para o lugar dele quando precisar, principalmente para fazer as necessidades quando bater a vontade.

O melhor jeito de resolver essa questão é começar pensando pequeno. Delimite um espaço pequeno onde você quer que ele durma e faça suas necessidades e apresente apenas esse espaço para ele nas duas primeiras semanas.

Quando perceber que ele já se sente à vontade naquele local, siga para um outro ambiente e assim por diante. E lembre-se que é sempre melhor apresentar um ambiente novo durante o dia, para que ele tenha tempo para se familiarizar com o espaço. Dê alguns dias para que ele possa explorar o novo cômodo e só depois siga para o próximo. Você vai ver como ele vai se comportar bem melhor do que simplesmente deixá-lo livre pela casa o tempo todo.

E não se esqueça de preparar uma cama bem gostosa no lugar onde você quer que ele durma. O filhote precisa se sentir confortável e protegido, principalmente nos primeiros dias. No início, ele deve se sentir muito vulnerável sem a proteção da mãe e dos irmãos.

Se possível, sugiro que você use uma daquelas caminhas cobertas que parecem um casulinho. Isso ajuda porque o instinto deles na natureza seria procurar uma toca para se abrigarem. Ou seja, qualquer coisa que se assemelhe a isso ajuda bastante na hora de enfrentar o choro. E sobre isso, o que eu tenho a dizer é…

  • Deixa ele chorar

Essa parte é difícil para uns e chata para outros. Por mais que a gente tente minimizar o choque da chegada a um ambiente estranho, o filhote deve chorar nos primeiros dias. Entenda, está será, provavelmente, a primeira vez que ele estará sozinho. E como animais de matilha, ele vai tentar chamar a sua atenção para ver se consegue ter alguém por perto. O melhor jeito de lidar com isso é deixar ele chorar até cansar. Tanto uma bronca quanto um carinho naquela carinha fofa vai ser entendido por ele como um retorno. Ou seja, ele vai associar que toda vez que ele chora você responde. E essa definitivamente não é uma associação que você quer que ele faça.

Então, peça desculpas antecipadas aos vizinhos, compre alguns bons protetores auriculares e resista àquele chorinho fininho. Você vai ver, logo esse hábito desaparece.

  • Fale “não”

Os filhotes são curiosos por natureza e num ambiente natural eles tentam fazer tudo que têm vontade até que o líder da matilha ou outros membros mais fortes os digam, através de latidos e mordidas, que não se pode fazer isso ou aquilo.

Quando ele chegar na sua casa a ideia é mais ou menos a mesma, mas ao invés de mordê-lo, nós recomendamos que você diga “não” com uma postura firme sempre que quiser corrigir algum comportamento que não é legal. Isso serve para situações como mordidas no canto do sofá, nos seus sapatos, no controle remoto e por aí vai.

Não precisa gritar ou bater, apenas um “não” bem falado e com uma postura firme é o suficiente para ele aprender. Mas caso ele insista, repita o “não” enquanto você o afasta do local onde ele está fazendo a arte.

Um detalhe importante é que você deve fazer isso quando pegar ele no ato. Repreender o cão por algo que aconteceu há algum tempo não gera efeito nenhum. Os cães trabalham com associação sempre ao último fato ocorrido. Então, se você disser “não” para ele enquanto ele está sentado te olhando porque você descobriu que ele comeu sua meia há sabe se lá quanto tempo, ele vai achar que você está dizendo “não” por ele estar sentado te olhando. Isso porque ele já esqueceu que comeu sua meia. E também não adianta esfregar na cara dele. Coitado…

Bom, obviamente que existem muitas outras coisas importantes para a boa educação e adaptação de um filhote, mas acredito que esses cinco pontos (leia aqui a parte 1 das dicas) são fundamentais para os primeiros dias.

Aqui no CãoAtivo Club nós falaremos bastante sobre como lidar com um novo animal em casa, então fique ligado no nosso site e na nossa página no Facebook. Boa sorte!

Compartilhe!