Neste aspecto temos algo em comum com os cães, assim como nós eles não são “ermitões ou solitários”, vivem em grupo (matilhas). Em seu instinto a primeira coisa a ser definida é quem é quem neste convívio, nascem para seguir uma hierarquia que funciona muito bem quando compreendida por nós. Cada membro será fundamental e terá seu papel bem claro para que o grupo funcione bem, desde o cão mais dominante até os mais submissos.

Sabem aqueles filhotinhos bem ativos…..

Desde a ninhada já se notam as característica individuais de cada cão que poderão ser dominantes, medianos ou submissos (alfas, betas e ômegas). Absolutamente todos terão um papel importante no grupo e deverão entender através de nossas sinalizações que seres humanos, por raciocinarmos, deverão estar sempre na liderança destes grupos agindo como bons provedores, caso contrário se instalarão os famosos Desvios de Comportamento ou Conflitos de Convivência.

Entre eles não há problema algum em estabelecerem uma hierarquia, cabe a nós como bons líderes somente administrarmos corretamente não permitindo exageros.

Trataremos em nossos próximos posts como identificar nossos cães hierarquicamente e nos colocarmos na liderança.

Compartilhe!