Ueba, hoje tem passeio na praça

 

Se ainda restar alguma dúvida sobre o comportamento do seu pet, uma boa solução é atentar ao movimento da cauda do bicho. Isso vai lhe dizer se é boa hora para brincar, sair com ele para a rua, entre outras atividades. Mas atente: a cauda é uma das variáveis. Portanto, observe o contexto em que o cão se encontra para apurar sua condição.

Quando seu cachorro está calmo e relaxado fica flagrante a cauda permanentemente solta, caída entre as patas traseiras. Já quando em estado de alerta, o rabo fica eriçado, rígido, tenso, parecido com uma antena. Atenção: mesmo abaixada, sem movimento, a causa pode indicar a condição de alerta.

Há uma semelhança entre o estado de alerta e o dominante: a cauda transmite um sinal idêntico ao sinal de alerta. O que irá diferenciar um do outro são os demais sinais que o cão apresentar, como a projeção do corpo para frente com peso sobre as patas dianteiras, olhar fixo no outro cão, e boca semi-fechada com a língua retraída.

Quando o cachorro encontra-se no status agressivo seu corpo manterá a cauda num ângulo quase reto, como uma continuação do seu dorso. Além disso, o rabo fica tenso, com pouco movimento. Esta posição se mantém por conta da estabilidade que confere ao cão no caso dele ter que saltar ou se arremessar sobre, ou em direção à uma possível ameaça.

E aí? Curtiu a dica? Então prove. Curta, comente e compartilhe nossos conteúdos.

Compartilhe!