Qualquer pessoa que seja tutor de um cachorro sabe o quão importante é o passeio diário, não é mesmo? Inclusive, essa é uma questão que deve ser considerada antes de comprar ou adotar um peludo. Contudo, nos últimos anos, tem se popularizado uma alternativa para quem tem dificuldades de manter o hábito, mas não quer abrir mão de ter um companheiro em casa: o dog walker.

Ter uma rotina atribulada ou ter medo de passear com o cachorro já não são mais desculpas para não levá-lo às ruas. Hoje em dia é possível contar com a ajuda profissional para satisfazer tanto as necessidades do cão quanto as exigências dos tutores.

Porém, um dog walker profissional exerce muitas outras funções, além de passear com cachorros. Ele precisa ter um bom conhecimento sobre psicologia canina para transmitir confiança para que o sigam. Esses profissionais são uma excelente opção para estimular as atividades físicas e mentais dos peludos.

Mas então, o que é um dog walker, afinal? Qual a diferença entre ele e um passeador amador? E mais: quando contratar seus serviços e como escolher um bom profissional? Continue conosco, pois é sobre isso que falamos neste artigo!

O que é um dog walker profissional?

O dogwalking é uma prática relativamente recente no Brasil, por isso, a maioria das pessoas não sabe bem o que o passeador de cães profissional faz. De modo geral, o dog walker é quem vai levar o seu cão para o passeio diário. Porém, quando o serviço é prestado por alguém que fez cursos na área e se especializou em comportamento canino, o passeio vai muito além daquela voltinha na quadra apenas para o cachorro fazer suas necessidades.

Um dog walker profissional direciona todo o seu foco de trabalho na qualidade de vida e no bem-estar dos cães, estimulando-os não só física como também mentalmente. Ele é treinado, disciplinado e está sempre atento a diversos fatores como temperatura do dia, idade, raça e condições físicas do cachorro.

Além disso, o passeador consegue identificar os diversos sinais comportamentais dos cachorros de maneira a amenizar ao máximo questões como fugas e conflitos entre os animais durante a caminhada, bem como saber de que forma lidar com muitos imprevistos. Ele deve atuar sempre de forma preventiva aos problemas comuns das caminhadas, por isso a importância de estar atento às sinalizações dos cães que estão sob sua responsabilidade.

O dog walker, portanto, além de garantir que seu parceiro tenha uma rotina saudável de exercícios, exerce um trabalho de reeducação nos cães.

É importante que seu trabalho não seja confundido com o de um adestrador (embora uma atividade não seja excludente da outra), são profissionais distintos, com objetivos diferentes, mas, sem dúvida, as técnicas que ele emprega servem para disciplinar melhor o cão, deixando-o menos ansioso e mais tranquilo — uma vez que suprem suas necessidades instintivas diárias.

Quais são as diferenças entre o profissional e o passeador amador?

Muito bem, mas se o dogwalking não é apenas um passeio, o que diferencia um passeador profissional de um amador? A resposta é simples: conhecimento. Isso já demonstra uma grande diferença, você não acha?

O dog walker profissional é aquela pessoa que investiu em cursos de formação e tem técnica para identificar os padrões de comportamentos dos cães, além de sensibilidade para entender a personalidade de cada um deles. Cabe ressaltar que isso não se trata apenas de amar os cachorros, mas de direcionar esse afeto na capacidade de transmitir confiança, segurança e respeito ao pet.

Os cursos profissionalizantes de dog walkers cresceram bastante nos últimos 10 anos. A duração varia de escola para escola, e é possível encontrar cursos de 1 hora até os que oferecem preparação por 8 horas. Ao final, o especialista recebe diplomas ou certificados que confirmam a sua dedicação.

Os cursos proporcionam noções sobre técnicas de condução segura, comandos de percurso (como senta, espera, junto, fica, aqui), como agir com os imprevistos (acidentes ou brigas) e como atuar com cães idosos, cardíacos ou com condições específicas de saúde, como artrose e displasia.

Além disso, é claro, os cursos focam no conhecimento sobre a psicologia canina, preparando os dog walkers para entender a linguagem, o estado mental e os instintos dos cães. Assim, eles sabem quais os comportamentos devem ser incentivados e quais devem ser desestimulados nos cachorros.

Sabendo como lidar com cada peludo, o profissional define os grupos de passeio e o percurso que será realizado. Ele tem instruções para conduzir quaisquer situações de rua (como encontro com cães soltos, escapadas, brigas dentro ou fora da matilha, bem como recolhimento dos dejetos).

Ele dispõe de equipamentos adequados para cada cão (guia, coleira, focinheira) e tem métodos para contornar imprevistos e medidas de segurança para aplicar na retirada e na entrega do cachorro em casa.

O dog walker, portanto, tem as seguintes características:

  • é treinado e qualificado para oferecer o serviço, e está sempre preparado para enfrentar situações emergenciais;
  • entende o comportamento canino, evitando brigas e ações inapropriadas;
  • foca na qualidade de vida do cachorro, proporcionando exercícios físicos e mentais;
  • proporciona um passeio educativo de 1 hora, enquanto ensina o cão a sentar, não puxar a guia e socializar com outros cães;
  • passeia com o número adequado, seguro e saudável de cães para socializá-los (isso após caminhar com o cão sozinho até sua inserção na matilha);
  • conhece as raças com que passeia;
  • segue as instruções dos tutores;
  • recolhe os dejetos do pet;
  • jamais pratica nenhum ato de violência para controlar um cão.

Ressaltamos que, mesmo tendo recebido cursos de treinamento para cães, o dog walker não deve ser confundido com um adestrador. Como dissemos, uma atividade não é excludente da outra, mas o passeador não tem obrigação de ensinar o seu cão a aprender algo, além dos comandos de disciplina para sair de casa (instruções de trajeto), que deixarão seu pet muito mais tranquilo durante todo o percurso.

Ao contrário de um passeador amador — que não tem os conhecimentos mínimos para acompanhar os cachorros e os levam apenas para fazerem suas necessidades (conduzindo mais de três cães e ficando parados durante a maior parte do tempo) —, o dog walker apresenta uma série de requisitos que priorizam a qualidade de vida e proporcionam uma experiência saudável para o seu pet.

Como funciona o passeio com o dog walker?

Como você pôde notar, os cursos de especialização de passeadores de cães são bastante completos. O dog walker também recebe formação de como se relacionar com os tutores e, portanto, seguirá todas as dicas, requisitos e exigências destacadas por eles.

Isso significa que o profissional unirá o seu conhecimento e suas técnicas com as particularidades de cada cão. Dessa forma, o tutor contratará o serviço e o dog walker o atenderá na hora e dias marcados, explicando como será o passeio. Ao retornar, ele relata como foram as atividades desenvolvidas e pode, inclusive, enviar fotos e vídeos feitos na caminhada.

Na maioria dos casos, o dog walker atende determinadas regiões ou um conjunto de bairros mais próximos e monta a sua rotina de acordo com os grupos de cães previamente definidos. Lembramos que os grupos são formados por uma quantidade de cães segura e adequada: a não ser que o tutor prefira que seu parceiro tenha um passeio individual (nesse caso será um valor diferenciado).

Isso também pode ser necessário temporariamente dependendo do temperamento do cão, bem como das condições de saúde dele (no caso de uma limitação maior).

Ao final do passeio, o cão gasta suas energias, faz suas necessidades, interage com outras pessoas e outros animais, satisfaz seus instintos, curiosidades e comportamentos naturais e retorna a sua casa com total segurança e revigorado.

Por que é importante manter a rotina do passeio?

O passeio diário com o seu cachorro não diz respeito somente à possibilidade de fazer suas necessidades fisiológicas na rua (não que isso não seja importante). Mas manter a rotina de caminhadas ao ar livre está muito mais relacionado às necessidades comportamentais dos cachorros.

Mesmo que você dedique tempo e atenção ao seu parceiro e, por mais próxima que seja a relação entre vocês dois, os animais têm hábitos e necessidades de socialização diferentes das dos seres humanos.

A história evolutiva do Homem e do cão é muito mais antiga do que se pensava, tendo início por volta de 40 mil anos, quando os primeiros lobos passaram a dividir o mesmo espaço com os hominídeos da época. No entanto, essa estreita ligação — hoje nossos queridos peludos são membros de nossa família — não foi suficiente para apagar os traços primitivos herdados dos seus ancestrais.

Isso quer dizer que os cães são animais curiosos, com instintos investigadores que são satisfeitos ao receberem os mais diversos estímulos das ruas. Além disso, eles são altamente sociais. Mas não se engane: não é apenas da companhia de humanos que um cão precisa. A socialização com outros cachorros é essencial para manter a saúde mental dos peludos.

O passeio regular permite que eles interajam entre si, aprendam uns com os outros e exerçam seus comportamentos hierárquicos (isso, aliás, justifica a necessidade de se deixar o filhote o maior tempo possível com sua mãe e irmãos, pois esse período implicará um preparo essencial para lidar com as pessoas e outros cães quando adulto).

Não podemos deixar de mencionar, é claro, a importância dos exercícios físicos para os nossos pets. Eles combatem a obesidade, extravasam a energia acumulada, desencadeiam uma série de hormônios essenciais para o bom funcionamento do seu metabolismo, fortalecem seu sistema imune e estimulam o desenvolvimento cognitivo dos peludos.

Além disso, há outra questão que deve ser considerada: a falta de atividades físicas diárias e duradouras pode trazer como consequência o desenvolvimento de hábitos inadequados e de um comportamento desequilibrado. O cão pode começar a fazer necessidades em locais impróprios, destruir objetos, latir, se lamber em excesso, correr atrás do rabo e até mesmo se tornar agressivo, hiperativo, depressivo e ansioso — tudo isso pela não canalização correta da sua energia produzida diariamente.

Sabemos bem o quão indisciplinado um cão pode ficar, não é mesmo? Mais do que isso, nenhum tutor quer ver seu peludo infeliz pela casa. Mas, antes de sair para caminhar ou correr com o cachorro, é preciso estar atento às condições de saúde do pet, além de estar seguro para sair às ruas e proporcionar os estímulos que eles necessitam.

Por exemplo, talvez o seu cachorro não esteja preparado para percorrer grandes distâncias e precise muito mais farejar, cavar buracos e encontrar objetos do que qualquer outro exercício. Mas você pode ficar tranquilo quanto a isso, pois um dog walker sabe identificar os traços de personalidade e essas necessidades nos cachorros. Assim, ele trabalha o seu condicionamento para que o peludo percorra distância e tempo adequados para drenar sua energia diária e equilibrá-los.

Quando contratar um dog walker?

Se você chegou até aqui, certamente já está convencido da importância de manter os passeios diários do seu companheiro. Pensando em oferecer o melhor para o seu amigo, talvez você esteja, agora, se perguntando quando procurar pelos serviços de um dog walker. Vamos conversar um pouco mais sobre isso?

A vida nos grandes centros urbanos é extremamente agitada e exige muito de nós. Além da corriqueira falta de tempo e disposição, poucas pessoas desfrutam de um grande espaço no pátio para que seus pets extravasem toda a sua energia. Mas outros motivos também podem ser decisivos na hora de pensar em contratar um dog walker.

Se você, por exemplo, tem em casa um cachorro com medo de pessoas, um companheiro indisciplinado ou, ainda, um cão que está apresentando sinais de distúrbios comportamentais, ter uma ajuda profissional é a melhor solução, concorda? Como você viu nos tópicos anteriores, o dog walker tem um amplo conhecimento sobre psicologia canina e é capaz de proporcionar a melhor experiência para o seu peludo.

Veja, a seguir, algumas razões para você considerar os serviços de um dog walker.

Se você passa pouco tempo em casa

Sabemos que isso deve ser considerado muito antes de o tutor adquirir o pet. Mas também sabemos que a vida é mais complicada e a rotina de qualquer pessoa está sujeita a mudanças. Então, se você não dispõe mais de tempo suficiente para suprir as necessidades do seu peludo e não quer que ele sofra as consequências disso, é melhor assegurar que ele tenha as suas voltinhas pela vizinhança, não é?

Se você não tem uma rotina previsível

Cães gostam de constância e precisam de horários definidos para passear, caso contrário, não sabendo se sairão ou não naquele dia, certamente vão drenar a energia assim que se sentirem incomodados. A mesma coisa acontece com as suas necessidades. Um cão que sabe sobre o seu passeio — ou seja, se condiciona a sair no mesmo horário —, prefere guardar sua energia e segura seus excrementos (xixi/cocô) para focar tudo isso em sua caminhada diária.

Se o seu cão tem muita energia

Alguns cães são bastantes calmos, mas outros são muito agitados. Se você tem passeado com seu companheiro uma ou duas vezes por dia, mas, mesmo assim, ele continua muito empolgado, chamando a sua atenção, uivando, latindo e dando sinais de que precisa colocar mais energia para fora, o serviço de um dog walker vem para complementar o que você já faz, evitando o surgimento de problemas.

Se você vai viajar

Se você vai viajar e não pode levar seu cachorro junto, é indispensável contratar o serviço de um pet sitter que vá até a sua casa e troque os jornais, limpe os locais que ele frequenta, dê ração, água, faça os passeios e dê toda devida atenção.

Muitas vezes, seu dog walker também poderá atuar como um pet sitter. Na sua ausência, o profissional visitará seu cachorro duas vezes ao dia para os cuidados citados.

Se o dog walker é de confiança

Parece óbvio fazer um tópico sobre isso, não acha? Mas, mesmo assim, é sempre bom lembrar que é indispensável contratar apenas dog walkers capacitados, que tenham boas referências no mercado. Não basta simplesmente encontrar um passeador amador, é preciso saber se o profissional sabe o que está fazendo.

Por isso, apenas contrate o serviço de dog walker se você já fez uma pesquisa sobre a pessoa e sobre os seus cursos de formação. Dessa forma, você tem segurança de que o seu investimento não será em vão e que seu amigo mais precioso estará em boas mãos. Aliás, nesse aspecto, solicitar os serviços de dog walker por meio de um aplicativo é uma garantia a mais de que o profissional é qualificado, pois ele é cadastrado no app (que contém dados como endereço, documentos etc.).

Geralmente os passeadores amadores oferecem serviços menos custosos para a contratação, mas, quando o assunto envolve o bem-estar do seu cachorro, vale a pena avaliar melhor a situação, concorda?

Lembre-se de que não basta somente amar profundamente os cães, é crucial ter conhecimento sobre os seus comportamentos naturais para poder estabelecer a melhor rotina e, também, saber como proceder em ocasiões de emergência ou imprevistos.

Você cria uma relação de confiança com o dog walker. Você entrega a ele o seu melhor amigo e, para que isso seja feito com tranquilidade, é preciso que haja uma conexão entre o cão e o dog walker e, obviamente, também entre você e o profissional. Ou seja, não pode ser qualquer pessoa.

Quais os benefícios de contratar um dog walker?

Chegando até aqui, você já deve ter imaginado os diversos benefícios de contratar os serviços de um dog walker, certo? O passeador de cães profissional oferece muito mais do que uma simples caminhada em volta da quadra.

O dog walker sabe da importância do desenvolvimento e do estímulo mental aos cachorros e, dessa forma, promove atividades estimulantes, assim como os ensina a não latirem para pessoas e outros cães e ensinando comandos básicos de sentar e andar tranquilamente sem puxar a guia, por exemplo.

Mas muito bem, vamos a outros benefícios.

Elimina ou reduz os comportamentos inadequados dentro de casa

Na maioria das vezes, o desenvolvimento de comportamentos inapropriados como latir em excesso, destruir objetos e fazer necessidades no lugar errado é decorrente da falta de oportunidade de drenar sua energia caminhando. Os exercícios físicos e mentais que o dog walker proporciona podem reduzir consideravelmente — ou mesmo eliminar — esses distúrbios.

Promove uma socialização saudável com pessoas e outros animais

Alguns cachorros não tiveram os estímulos apropriados enquanto filhotes, durante a fase do desenvolvimento que requer a socialização (a partir da 8ª semana de vida). Em vista disso, eles podem apresentar medo e aversão aos passeios.

Com a ajuda profissional do dog walker, o cachorro associa as caminhadas com momentos de prazer e relaxamento, e passa a ter uma socialização mais saudável com estranhos e com outros animais.

Proporciona um comportamento educado em locais públicos

Seu cão late demais, se esconde, morde ou pula nas pessoas (ou em você)? Isso é bastante constrangedor e desagradável, não é mesmo? Na maioria das vezes isso acontece porque o cachorro não tem regras definidas pelo grupo que vive, não tem disciplina e lhe falta contato com o ambiente externo, tem medo ou, ainda, muita excitação.

A rotina de passeios conduzida pelo dog walker faz com que o seu peludo gradativamente deixe de ter esses hábitos. Com o tempo, ele aprende a gostar dos diversos estímulos e passa a ter um comportamento exemplar nas ruas.

Propicia uma melhora na saúde e no bem-estar do cão

Esse benefício é inquestionável. Os passeios constantes e a rotina saudável estimulam o corpo e a mente dos cachorros, elevando a sua qualidade de vida. Os exercícios regulares mantêm o peso, melhoram as articulações e o funcionamento dos sistemas circulatório, digestório e imunológico.

Além disso, cachorro que tem atenção, bons estímulos e alimentação saudável tem maior longevidade também.

Como escolher o melhor dog walker?

Nos últimos anos a relação entre cães e seus tutores se estreitou. Essa íntima ligação aumentou a exigência dos tutores sobre tudo o que diz repeito a seus parceiros. Querendo proporcionar o melhor para eles, é essencial ter em mente uma pergunta: o que o dog walker oferece?

Portanto, procure sempre por profissionais qualificados, que tenham participado de cursos de especialização e que transmita toda a confiança que você precisa. Mas como reconhecer se esse profissional é realmente capacitado e vai propiciar ao seu cachorro todos os benefícios que ele merece?

A resposta é simples: procure por suas referências. A Cão Ativo Club ministra cursos e oferece formação de excelência para passeadores, com profissionais que têm mais de 20 anos de experiência na área — Fernando Baiardi, seu fundador, foi pioneiro e é considerado o primeiro dog walker profissional do Brasil.

Além dos cursos de capacitação para quem deseja levar seu amor pelos cães a outros patamares e fazer disso uma profissão, o projeto tem um aplicativo — o App Cão Ativo Club — que reúne, de maneira fácil e interativa, os melhores dog walkers disponíveis a um click de distância de você.

Estabelecer uma rotina de passeios é crucial para manter a saúde e o bem-estar do seu cachorro. Por maior que seja a sua ligação com ele, lembre-se, sempre, de que ele tem necessidades diferentes das suas. Então, se, por algum motivo, você não consegue manter o hábito de passear com seu cão todos os dias, não hesite em procurar o serviço de dog walker. Os benefícios serão sentidos por você, mas (muito mais!) pelo seu melhor amigo.

E então, nosso artigo foi esclarecedor para você? Novas dúvidas surgiram e você gostaria de ter mais informações a respeito dos nossos serviços? Entre em contato conosco para que possamos ajudá-lo. Teremos prazer em atendê-lo!

Compartilhe!

Um Cão Ativo é um Cão Feliz!

Cães precisam exercitar corpo e mente, assim como nós.
Cães ativos são mais sociáveis, calmos, inteligentes e saudáveis.
Leve seu cãozinho para passear, faz bem para vocês dois =D

Produzido por Doglovers!