Cuide para que a guia não machuque seu amigo
Quando utilizamos boas guias e colares de pescoço (os chamados erroneamente de enforcadores por quem não os aplica de forma correta e consciente) conseguimos dar ainda mais segurança ao passeio com os cães. Tome cuidado, no entanto, ao adotar esses equipamentos e não machucar o seu animalzinho.

O ideal é que esse equipamento seja colocado atrás das orelhas e que seja acionado apenas quando precisamos orientá-lo de algo sempre com toques leves e não durante o trajeto todo. É o suficiente para que seu cachorro tenha um leve desconforto e perceba que sua postura está errada. Puxões com o colar lá atrás do pescoço, força exagerada e fora de hora podem causar lesões e traumas.

Se um outro cão mais agressivo e solto se aproxima, o colar de pescoço nos permite redirecionar a cabeça do nosso animal para próximo de nossa perna. Assim, ele não terá contato visual com o outro e você evita o estímulo ao ataque. Ao mesmo tempo procure se afastar do “adversário em potencial” andando na direção contrária dele.

Os colares de pescoço permitem tal controle do tutor sobre o seu cão que praticamente impedem que os nossos mascotes peguem objetos no chão que podem oferecer riscos como ossos, comida estragada, veneno, lixo, etc.

O recado principal é este: todas as guias e coleiras são aceitáveis desde que o condutor saiba dos riscos que está correndo e saiba usar colares de pescoço de forma correta e segura. Atente: o cachorro, em nenhum momento, deve tomar o controle das ações seja nos passeios, seja dentro de casa. Mostre a ele, desde o primeiro momento, que você é o líder, o provedor do grupo. A amizade de vocês ficará ainda mais fiel.

Quer ficar por dentro sobre como criar seu filhote ou seu amigo mais crescidinho? Fique conosco e compartilhe com seus amigos o nosso projeto e dicas.

Conheça “as feras” do Cão Ativo.

#caoativo #caoativoclub #fernandobaiardi

Compartilhe!