Esse moço está precisando de umas barras assimétricas

São muitos os casos de obesidade canina e eles decorrem de diferentes fatores: os dois principais são a falta de alimentação correta – horários fixos, quantidade, etc – e a falta de atividade física.

Hoje em dia existe uma tendência à Alimentação Natural (AN), ou seja, uma dieta pautada para as necessidades de cada raça. Mas é preciso pesquisar. Se você optar pela ração ou pela AN é preciso verificar a quantidade correspondente ao peso corporal, além de atentar para horários pré-estabelecidos.

Importante: evite dar restos de alimentos humanos para os cães. Os temperos que usamos nas nossas refeições são um verdadeiro veneno para eles.

Em relação à atividade física, não passear com o seu dog é outro item que contribui tanto para a obesidade canina como para problemas comportamentais. É preciso dedicar ao menos uma hora diária de caminhada com eles.

Além da perda de peso, esses passeios são fundamentais para equilibrar os bichinhos em casa, que não se contentam com a paisagem que veem de janela do apartamento ou apenas com a “paisagem” do pátio de casa. Ficar permanentemente em casa gera frustração e desvios de comportamento nos cães.

Embarque no lema: “Abaixo a obesidade. Bora rodar com a cachorrada pela cidade”.

Continuem conosco.

#fernandobaiardi #caoativo #caoativoclub

Compartilhe!