Ianca até já pediu o “zap zap” desse moço
Fique atento aos sinais que o seu cachorro emite. Quando um tutor consegue interpretar a linguagem corporal dos seus cães, a possibilidade de evitar constrangimentos, brigas e acidentes é muito maior. E todos ficarão felizes.

Quando ansioso e nervoso, por exemplo, seu cachorro demonstra uma mistura de medo e expectativa por algo que está para acontecer (um evento desconhecido ou imaginário) ou na presença de algo ou alguém que irá disparar os sintomas físicos e fisiológicos relacionados à ansiedade.

A demonstração de medo é marcada pelas orelhas coladas, cabeça abaixada, patas ligeiramente flexionadas e cauda recolhida entre as pernas. É um sinal de que o cachorro tenta se esconder ou parecer menor do é na tentativa de informar seu oponente de que não representa ameaça ou está indefeso.

Já este é um sinal que quase todos os donos de cachorro acham uma graça. O cão deita-se sobre o dorso expondo a região abdominal. Na verdade, esse é um sinal de submissão já que a região abdominal é a mais frágil do corpo. Ele, com essa atitude, passa a mensagem de que se rende ao outro indivíduo, abre mão de lutar e não representa ameaça.

Quando seu cão estiver relaxado você vai perceber que o botão “desligar” dele foi acionado: nessa condição em geral o cão está descansando, com a cabeça abaixada e queixo encostado no chão.
O quadro é de felicidade plena, não tem erro: boca aberta e língua de fora, cotovelos apoiados no chão e traseiro levantado com a cauda abanando sinaliza que este cão está disposto e convidativo a brincar.

Mas tem coisa melhor do que felicidade? Tem. Estágio acima desse é o de excitação. Aqui o cachorro vai fazer de tudo para chamar atenção do dono ou do outro cão por tocá-lo ou “acenar” solicitando uma interação.

Bacana ou não essa linguagem dos nossos amigos de quatro patas? Certeza que sim.

Curta, comente, compartilhe os nossos materiais.

Compartilhe!